o BloG dA pRofA











{Fevereiro 2, 2012}   O peregrino

O oceano desprende de seu olhar

Susurros, nessa peregrinação

que é a vida, deixam vultos a navegar

O barco é seu bem colossal

Água doce que possui amargas pitadas de sal.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Perdoa-me, amarga peregrinação,

Mas falta de amor traz tanto rancor

Fator que desilude teu coração

Te assusta, fere e estraçalha sua alma com dor

e com golpes certeiros de pura obsessão.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Tanta solidão deve-se ao destino

O mesmo que vai e volta para matar

A cada vítima, aí está você sozinho

A cada movimento e a cada olhar, desabas

Com tanta tristeza que o segue, peregrino.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Pensando nos velhos momentos, choras, meu jovem,

Por ter trocado a segurança pela incerteza

Detalhe que o consome a cada instante

No seu semblante, pulsa a morte

De quem um dia considerava-se o forte.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

“Homem ao mar!!!” assim ele vai

Preso em seus próprios sonhos

Afogando-se em suas próprias escolhas

Parte, enfim, a vida desse jovem

Peregrinante que então vira peregrina_dor.

Gabriel Moreira

 

Leia mais: O velho e o mar – Ernest Hemingway 

 http://www.4shared.com/office/Hb3IG7V3/Ernest_Hemingway_O_velho_e_o_m.html

Anúncios


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

et cetera
%d bloggers like this: