o BloG dA pRofA











{Agosto 25, 2011}   LeMinsKi aNo

Aqui tou eu pra te proteger dos perigos da noite, do dia

Sou fogo, sou terra, sou água, sou gente, 

eu também sou filha de Santa Maria

Desencontrários (Paulo Leminski)

   Mandei a palavra rimar,
ela não me obedeceu.
   Falou em mar, em céu, em rosa,
em grego, em silêncio, em prosa.
   Parecia fora de si,
a sílaba silenciosa.

   Mandei a frase sonhar,
e ela foi num labirinto.
   Fazer poesia, eu sinto, apenas isso.
Dar ordens a um exército,
   para conquistar um império extinto.

Dia 24/08 (quarta-feira), o escritor curitibano Paulo Leminski completaria 67 anos. Para comemorar a data, a Biblioteca Pública do Paraná (BPP) e o Museu da Imagem e do Som (MIS-PR) abrem a exposição “Clics em Curitiba”, com 24 painéis de fotos de Jack Pires associadas a poemas de Leminski, considerado um dos escritores brasileiros mais importantes da segunda metade do século 20.

As imagens e os textos foram originalmente publicados no livro “Quarenta Clics em Curitiba”, lançado pela dupla em 1976. A abertura da mostra é às 19h, em seguida, às 19h30, será exibido no Auditório Paul Garfunkel o documentário “Ervilha da fantasia – uma ópera Paulo Leminskiana”, do cineasta Werner Schumann

A programação ainda conta com a leitura dramática do texto “O dia em que morreu Leminski”, escrito pelo jornalista e dramaturgo Rogério Viana, também no auditório, às 17h30. A leitura é dirigida por Léo Moita e tem participação dos atores Felipe Custódio, Val Salles e Naiara Bastos.

Jack Pires foi um fotógrafo paulista radicado durante muitos anos em Curitiba, onde desenvolveu diversas atividades na Fundação Cultural de Curitiba e trabalhou em importantes estúdios fotográficos. Realizou, nos anos 1970 e 1980, valiosos registros do cotidiano da capital paranaense, num estilo que foi comparado ao de Henri Cartier-Bresson. Em 1976 convidou Leminski para associar seus poemas a diversos flagrantes registradas nas praças e ruas da cidade. O resultado é um livro de grande valor artístico e documental. [imprensa@seec.pr.gov.br]

Serviço:

Clics de Curitiba

Exposição de fotos do livro “Quarenta Clics em Curitiba”

A partir de 24 de agosto, às 19h

Visitação até 24 de setembro – Hall de entrada

Biblioteca Pública do Paraná – Rua Cândido Lopes, 133, Centro, Curitiba.

Entrada franca

Mais informações: (41) 3221-4917

Veja mais: http://www.youtube.com/watch?v=MHkya98tKgs

Leia mais: 

http://pauloleminskipoemas.blogspot.com/

http://www.releituras.com/pleminski_menu.asp

http://www.kakinet.com/caqui/leminski.htm

Anúncios


{Agosto 4, 2011}   Eu quero ser feliz agora…

Se alguém disser pra você não cantar

Deixar seu sonho ali pro um outra hora

Que a segurança exige medo
Que quem tem medo Deus adora

Se alguém disser pra você não dançar
Que nessa festa você tá de fora
Que você volte pro rebanho.
Não acredite, grite, sem demora…

Eu quero ser feliz Agora 

Se alguém vier com papo perigoso de dizer que é preciso paciência pra viver
Que andando ali quieto
Comportado, limitado
Só coitado, você não vai se perder
Que manso imitando uma boiada, você vai boca fechada pro curral sem merecer
Que Deus só manda ajuda a quem se ferra, e quando o guarda-chuva emperra certamente vai chover,
Se joga na primeira ousadia, que tá pra nascer o dia do futuro que te adora.
E bota o microfone na lapela, olha pra vida e diz pra ela…

Eu quero ser feliz agora 

 



{Agosto 2, 2011}   Pequeno Cineasta

Foram prorrogadas as inscrições para o 2o.Festival Internacional Pequeno Cineasta. Os pequenos realizadores interessados devem se inscrever até 08 de agosto de 2011.

Crianças e jovens, de 08 a 17 anos, do mundo todo, podem inscrever seus filmes. Serão aceitos filmes de até 10 minutos de duração, nos gêneros de ficção, documentário, experimental e animação. A inscrição é gratuita.

O Festival será realizado em novembro deste ano na cidade do Rio de Janeiro. Além das Mostras Competitivas, haverá espaço para debates com profissionais das áreas de Cinema e Educação. Maiores informações estão disponíveis no site: www.pequenocineastafest.com.br



{Junho 11, 2011}   Bloomsday



{Novembro 11, 2010}   Memória Escrita 20

Na verdade acho que sempre tive mais contato com os números, mas lembro de todas as noites meu pai lendo algumas páginas de um livro para mim, que particularmente não sei da história até hoje. É alguma coisa com Capelo Gaivota; um livro de capa dura azul, com o título escrito em prata, não deve ser o tipo de livro que se lê para uma criança.

Lembro do primeiro livro que eu mesma li. Até hoje não sei pronunciar o nome, e também não lembro como se escreve. Mas é uma história conhecida, em que a filha paga uma dívida do pai, se casando com o rei. Por algum motivo, ela teria que transformar palha em ouro e assim se desvenda a história.

O que acho legal é que o primeiro livro que li sozinha quando criança fazia e faz muito mais sentido do que o que o meu pai lia perfeitamente e diariamente para mim.

 

Este é o filme que marcou uma geração e transformou o livro de Richard Bach num best-seller que vendeu 40 milhões de cópias e viajou por 70 países do mundo. Foi indicado ao Oscar® 1974 (Melhor Fotografia e Melhor Montagem) apresenta uma trilha sonora ganhadora do Grammy® e do Globo de Ouro®, do lendário Neil Diamond.



{Setembro 17, 2010}   Antes que o mundo acabe

Leia mais: http://cinema.cineclick.uol.com.br/filmes/ficha/nomefilme/antes-que-o-mundo-acabe/id/16299

Obrigada, querida!



{Abril 25, 2010}   atrás do muro havia cinema

O muro de Berlim caiu há 20 anos. Começa a cair agora o Muro de Silêncio em torno do tesouro cinematográfico da Deutsche Film AG (DEFA), produtora de cinema estatal da extinta Alemanha Oriental. Fundada em 17 de maio de 1946, três anos antes da criação da República Democrática Alemã (RDA), ela desapareceria em 1992, três anos após a queda do Muro de Berlim em 9 de novembro de 1989. Os embates ideológicos da Guerra Fria e as versões vencedoras da Reunificação das duas Alemanhas soterraram 46 anos de sua existência. Durante esse tempo, foi produzida uma coleção de filmes, compostas de 750 longas metragens, 200 filmes de animação e de mais de 3.000 documentários.

Para dar conta de tamanha produção, a DEFA possuía vários estúdios: um para longas-metragens, outro para documentários e um terceiro para filmes de animação. Com a reunificação alemã, em 3 de outubro de 1990, foi iniciado um processo de privatização das empresas em mãos do Estado. Esse foi o caso dos estúdios Babelsberg que foram vendidos e passaram a ser apenas espaços de aluguel e nessa condição foram contratados por Quentin Tarantino para rodar seu último filme: Inglourious Bastards. Com a privatização, esses estúdios deixaram de participar de um projeto de cinema integrado.

ENTRE OS MUROS DE BERLIM E O DE SILÊNCIO

O Ocidente via a República Democrática Alemã como um país cinzento em que predominavam a melancolia, o conformismo intelectual e um tédio incomensurável. Durante a Guerra Fria, as produções oriundas da estatal DEFA eram suspeitas de serem desprovidas de autonomia em relação ao Estado e ao partido único que o dirigia. Esta desconfiança fez com que elas se mantivessem praticamente ausentes do mercado internacional, destinadas sobretudo ao público interno.

A DEFA, inspirando-se nas melhores intenções democráticas e antifascistas visava originalmente unir a produção cinematográfica do país dividido.

Entre as películas a serem exibidas encontra-se Os assassinos estão entre nós (1946), primeiro filme alemão do pós-guerra, e que tinha o projeto de se opor aos filmes de propaganda nazistas feitos antes da derrota pra os aliados. Com imagens de inspiração nitidamente expressionistas, o filme resgata essa estética condenada e mal vista durante a hegemonia do nacional-socialismo.

É o primeiro a abordar a questão dos crimes cometidos durante a Segunda Guerra. Foi realizado por Wolfgang Staudte, cineasta que começou sua carreira durante o regime nacional-socialista. Berlim, a poderosa capital do Terceiro Reich, é mostrada em escombros e ruínas, revelando a destruição de que foi alvo. Ele faz parte do projeto de reeducação do povo alemão para se libertar dos valores nazistas e enfrentar as questões do pós-guerra.

Na contemporaneidade, a informação percorre o planeta em velocidade cada vez maior, de forma quase instantânea. É, portanto, no mínimo curioso existir uma filmografia tão extensa e variada que permanece intacta aos olhos dos espectadores.

Aventurar-se nos filmes da DEFA de olhos e peito aberto é deixar-se surpreender pela vida que nos é revelada, é estabelecer analogias entre as nossas ilusões perdidas e as deles. É reiterar o lugar do Cinema como território privilegiados de sonhos e utopias. Parafraseando Beth Cleinman, utopias não como meta a ser atingida, mas como objetivos que nos impulsionam a seguir adiante.

Pra quem não viu, amanhã é o último dia. Em Curitiba e São Paulo, até onde eu soube. Um bom motivo para sair no frio e na chuva.

Domingo (25 de abril)

13h – O terceiro (Der Dritte) – 1972, 107 min., cor

15h – Os assassinos estão entre nós (Die Mörder sind unter uns) – 1946, 81 min, pb

17h30 – Os arquitetos (Die Architekten) – 1990, 102 min., cor

20h – O Muro (Die Mauer) – 1990, 96 min, cor e pb

Serviço

Cinema: “Atrás do Muro Havia Cinema”

Local: Teatro da Caixa

Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro – Curitiba

Data: de 20 a 25 de abril

Horários: de terça a sexta 15h, 17h30 e 20h; sábado e domingo 13h, 15h, 17h30 e 20h

Ingressos: Entrada franca – (Distribuição uma hora antes de cada sessão)

Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta, das 12 às 19h, sábado e domingo, das 16 às 19h)

Não recomendado para menores de 12 anos

www.caixa.gov.br/caixacultural



{Novembro 26, 2009}   Um contador de histórias!

Hoje reencontrei um amigo, contador de histórias (e algumas foram editadas num livro chamado Caixa de Ferramentas – Manual indispensável para o bom desempenho nos recursos humanos), e como foi bom conversar novamente com alguém que contribuiu tanto para a minha persistência.

Ele me deu a seguinte história pra ler:

O fruto da persistência

Um homem investe tudo o que tem numa pequena oficina. Trabalha dia e noite, inclusive dormindo na própria oficina. Para poder continuar nos negócios, empenha jóias da esposa. Quando apresentou o resultado final de seu trabalho a uma grande empresa, disseram-lhe que seu produto não atendia ao padrão de qualidade exigido. O homem desiste?

Não! Volta à escola por mais dois anos, sendo vítima da maior gozação dos seus colegas e de alguns professores que o chamavam de “visionário”. O homem desanima? Não!

Após dois anos, a empresa que o recusou finalmente fecha contrato com ele.

Durante a guerra, sua fábrica é bombardeada duas vezes, sendo que grande parte dela é destruída. O homem se desespera e desiste? Não! Reconstrói sua fábrica, mas um terremoto novamente a arrasa. Essa é a gota d’água e o homem desiste? Não!

Imediatamente após a guerra segue-se uma grande escassez de gasolina em todo o país e este homem não pode sair de automóvel nem para comprar comida para a família. Ele entra em pânico e desiste? Não! Criativo, ele adapta um pequeno motor à sua bicicleta e sai às ruas. Os vizinhos ficam maravilhados e todos querem também as chamadas “bicicletas motorizadas”.

A demanda por motores aumenta muito e logo ele fica sem mercadoria. Decide então montar uma fábrica para essa novíssima invenção. Como não tem capital, resolve pedir ajuda para mais de quinze mil lojas espalhadas pelo país. Como a ideia é boa, consegue apoio de mais ou menos cinco mil lojas, que lhe adiantam o capital necessário para a indústria.

Encurtando a história: Hoje a Honda Corporation é um dos maiores impérios da indústria automobilística japonesa, conhecida e respeitada no mundo inteiro. Tudo porque o Sr. Soichiro Honda, seu fundador, não se deixou abater pelos terríveis obstáculos que encontrou pela frente.

Se você, como infelizmente tem acontecido com muitas pessoas, adquiriu o hábito de viver reclamando e lamentando, experimente seguir sempre em frente, na busca dos seus objetivos sempre!

Obrigada, Chain, mais uma vez, por essa história (e muitas outras, e só quem passou por esse caminho sabe do que estou falando)!

Um caminho feliz se faz com persistência e uma alma agradecida! 🙂

Leia mais: (e não demora que o livro está acabando, rsrs)

Caixa de Ferramentas/Legrand. Belo Horizonte: Editora e Livraria do Chain, 2010.

Livraria do Chain

Rua General Carneiro, 441 (em frente à Reitoria)
Alto da Glória
(41) 3264-3484
De segunda a sexta das 8h às 19h30. Sábado das 8h às 18h.

A Livraria do Chain oferece livros nas categorias como administração e negócios, artes, auto-ajuda, beleza, lazer, hábitos sociais, bíblia, biografias, ciências biológicas e agrárias, ciências da saúde, ciências exatas e da terra, ciências sociais, direito, economia e contabilidade, educação, engenharia e arquitetura, esoterismo, esportes e educação física, filosofia, gastronomia, história, história em quadrinhos, informática, lingüística e dicionários, literatura, literatura infanto-juvenil, medicina integral, psicologia, religiões e doutrinas, RPG e guias de viagens. Com um atendimento todo especial!



{Outubro 17, 2009}   Primavera!

6409floresHoje estou aqui
Amanha estou lá
É a primavera que faz meu mundo girar

As flores esbeltas
Nesse mundo pra encantar
Conheci vários amores
Que me fez delirar

Já não sei mais se é a primavera
Que me faz amar
Só sei que a vida é bela
Ao som do cantar

Hoje posso sentir
O que nunca senti lá
Foi a primavera
Que fez meu mundo mudar

Frederico e Lucas G.1ºK



et cetera